Ter uma reserva de emergência é sinônimo de segurança e tranquilidade, mesmo que por um período ou não. Ninguém poupa dinheiro esperando que o pior aconteça, mas ter uma reserva de dinheiro mostra a preocupação em se preparar para não passar apertos no futuro. Entende-se por reserva de emergência a parte do patrimônio que irá cobrir despesas com saúde, educação e desemprego, não sendo misturada com necessidades não essenciais.

Em tempos atuais, devido a pandemia do Coronavírus, milhares de comerciantes, autônomos e microempresários sentiram no bolso como uma crise pode impactar suas vendas, assim como milhões de pessoas ao redor do mundo perderam seus empregos.

Mas será que estavam preparados? Você sabia que metade dos brasileiros (52,1%) não possuem uma reserva de emergência? E você, faz parte da metade que possui uma reserva?

Como faço uma reserva de emergência?

Primeiro de tudo você precisa entender onde há gastos excessivos e supérfluos. O ponto de ter uma reserva de emergência não é cortar todos os gastos, mas saber equilibrá-los. É necessário otimizar os gastos de acordo com os seus objetivos de vida.

Após fazer esse pente fino no orçamento doméstico e conseguir alcançar um equilíbrio que proporcione sobras no orçamento, é possível guardar e acumular dinheiro de forma a compor sua reserva de emergência.

Porém, a orientação não é esperar sobrar dinheiro para começar uma reserva de emergência. Sem educação financeira e com fácil acesso à crédito, muitas pessoas gastam mais do que ganham e ficam sem “sobras” para pensar em poupar.

Hoje em dia podemos contar com planilhas de gastos e aplicativos que ajudam no controle dos gastos. 

Quanto devo guardar?

Especialistas indicam que um montante que já garante segurança em caso de emergência deve ter entre três e seis meses dos seus custos fixos. Mas claro, se conseguir juntar mais para o seu fundo emergencial, melhor será. 

Para mensurar quanto exatamente é necessário guardar por mês para compor uma reserva de emergência é necessário considerar algumas questões, como, por exemplo, sua vida profissional. Se possui carteira assinada pergunte-se:há condições de promoção no curto prazo? Em caso de demissão, a recolocação é rápida ou pode levar mais tempo? Ter um aumento no salário ajuda a compor melhor a reserva. E se for demorada a recolocação é importante ter uma reserva emergencial ainda maior.

Tenha em mente que sempre que se a remuneração for variável é preciso que a reserva financeira seja maior. Por isso, se você for autônomo, sua reserva precisa ser mais abundante, já que, ao contrário do trabalhador que possui carteira assinada, não poderá contar com benefícios como seguro desemprego, multas rescisórias e fundo de garantia. Assim, é fundamental entender os gastos fixos para então estabelecer um percentual do lucro mensal para compor o fundo de emergência.

Onde devo investir?

Como faço para investir se não sei nada sobre investimentos?

Por muito tempo no Brasil as pessoas guardavam suas reservas de emergência na poupança. Porém, já deixou faz muito tempo de ser um investimento, pois a renda fixa traz um rendimento muito baixo.

Como o objetivo da reserva emergencial é ser utilizado rapidamente em uma situação atípica, precisa ser aplicada em investimentos com um prazo mais curto, que garantam um resgate imediato.

Os produtos mais indicados para essa finalidade são o Tesouro Selic (LFT), (Tesouro Direto) e fundos de Renda Fixa Referenciados DI Simples com resgates em até dois dias.  

As corretoras podem ajudar quem ainda não conhece nada sobre investimentos. Algumas permitem fazer cadastro de forma 100% digital, sem custos e as aplicações podem ser feitas diretamente do celular com segurança. 


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *